7 de julho 2012 as 10:04 am

Denúncia: Preços cobrados nas praias estão abusivos

Turista está pagando muito caro para ir a Alter do Chão

Alter do Chão

A restrição para chegar a Santarém já é o primeiro motivo para se preparar e gastar nas férias, devido a distância dos centros mais adiantados, bem como o acesso por terra, ar e rio, fazendo com que a viagem seja mais dispendiosa.

O aeroporto Maestro Wilson Fonseca, com sua estrutura pouco satisfatória, não é confortável e os passageiros não ficam bem acomodados, bem como ficam expostos a sol e chuva. Um aeroporto que não está preparado para receber uma maior quantidade de vôos, em virtude da demanda de passageiros, fazendo com que os preços das passagens sejam altos. Será que nosso aeroporto está preparado para servir de ponte para a Copa do Mundo em 2014? A rede hoteleira tem condições de hospedar uma grande quantidade de turistas? E os serviços oferecidos, como atendimento, taxis, etc. Será que os turistas vão optar por andar de mototaxi?

Agora, com a temporada de verão, nossas belas praias tendem a ficar lotadas, mas será que os preços dos produtos vendidos nesses locais serão acessíveis? Os veranistas estão dispostos a pagar um preço tão alto?

Nossa reportagem fez uma pesquisa em várias praias de Santarém, mas nos focamos na principal, que é Alter do Chão, o Caribe Brasileiro e considerada como a praia de água doce mais bonita do mundo, conforme matéria da jornal The Guardian. Uma viagem para Alter do Chão, por exemplo, está saindo mais cara que uma ida à praia do Futuro, em Fortaleza, Ceará. Lá em Fortaleza, encontramos pousadas que cobram o valor de R$ 50,00 a diária, incluindo café da manhã. Com almoço para duas pessoas, o preço sobre para R$ 60,00, incluindo um refrigerante. Já em Santarém, na praia de Alter do Chão, uma coca cola de 2 litros está sendo vendida por R$ 8,00 reais; o preço para saborearmos um peixe (tambaqui) está em torno de R$ 70,00, para duas pessoas. Caso você queira degustar de uma entrada, coisa muito comum nesses passeios, você encontra opção como: filé com fritas R 55,00, mas não compensa, pois vem muito pouco. A hospedagem de cinco dias em Alter do Chão custa R$ 765,00 (na promoção), com cama de casal; você paga R$ 1.090,00 em um hotel mais requintado.

O Caribe Brasileiro está expulsando seus turistas.

Infelizmente a população Santarena não tem renda que condiz com a realidade do lazer proporcionado pela nossa terra, o que, até os comerciantes das praias estão reclamando do baixo movimento. Se você for a um mercadinho, o preço dos produtos também são assustadores. O melhor mesmo é economizar, planejar e criar coragem para fazer uma viagem para fora do Estado, principalmente quem tem uma família mais numerosa.

Esses cálculos foram feitos usando apenas duas pessoas.

Por: Roberta di Paula

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

10 Comentários para Denúncia: Preços cobrados nas praias estão abusivos

  1. Cledilson J. L.Costa diz:

    Caros Conterraneos, Não Quero Acreditar Que Oquê Eu Le Na Midia Local Seja Verdade!…Cobrar Oito Reais Por Uma Coca de Litro…Adimitamos Nós Que Os Preços Estão Um Absurdo,Pós Sou Filho Dessa Terra Alter do Chão,Eu Já Moro Em Fortaleza-ce ha 22 Anos,Mais Nem Aque Os Preços Estão Tão Absurdos Como Ai.Eu Já Havia Recomendado Aos Amigos Que Passáriamos As Férias Nesse Paraiso,Mais Diante Dessa Noticia De Preços Abusivos, Vamos Mudar O Destino. Achamos Melhor Irmos A ‘Argentina’ Sai Mais Barato.!Mais Fica Aque O Meu Alerta, Alter, Era Conhecida Como As prais De Àgua Dôçe Mais Linda Do Mundo.Agora Como A Praia Mais Cara.Não Vamos Trocar Um Belo Titulo Pela Ganancia, Alter Só Tém A Perder Com Isso…Cobrar O Preço Justo É Valorisar Oquê Ha De Melhor Para Todos O “TURISTA”.Pensem Nisso Todos Só Tem A Ganhar.

  2. Walter Scpso diz:

    Moro em Belém, todos os anos passo parte das minhas férias na linda cidade,pois minha esposa é santarena, porém, esses preços absurdos não são novidades,há muito tempo reclamamos, além do mal atendimento em Alter do chão os barraqueiros nos respondem com monossibos virão o rostos com contrariedade, na última férias cancelei o pedido,pois perguntei sobre a demora do pedido e a senhora me respondeu com tamanho mal humor que não houve clima para o almoço.

  3. edino diz:

    estive recentemente em Alter do Chão, fiquei orrorizado com o preço dos alimentos, um frango pequeno completo por R$ 40,00 e um tucunaré de meio quilo completo por R$ 35,00, isso é um abssurdo. o aeroporto de santarém, a maioria dos passageiros ficam em pé, esperando a hora de embarque, também é muito cansativo. já penso em minhas férias viajar para o nordeste, pois sai mais barato a estadia, alimentos e passagem.

  4. seu braulino diz:

    eu levo o rango, feito em casa.

  5. nonato diz:

    Infelizmente a beleza natural encontrada na Vila de Alter do Chão contrasta com o atendimento e com a cobrança de preços abusivos dos comerciantes. Como exemplo posso citar o preço de uma camiseta com a foto da região. Estas camisetas em praias famosas do Rio de Janeiro, Espirito Santo e Rio Grande do Norte, por exemplo, são vendidas ao preço de 8 a 10 reais. Em Alter elas Não são encontradas por menos de 20 reais. Quanto a comida já falaram e como dica para o pessoal que curte a praia eu dou uma dica do que faço,, almoço com toda a família em casa ou em restaurantes em Santarem antes de ir.

  6. Manoel Filho diz:

    Que a vila de álter do Chão e suas praias são indiscutivelmente lindas e aconchegantes, não podemos negar. Nós que moramos em Santarém e região, bem como os turistas que vêm de outros estados, ficam vislumbrados com as paisagens, praias, etc. Infelizmente e complementando os diversos comentários aqui postados, nós que também temos casa na Vila de Álter e que comumente temos nossos amigos e amizades diversas, os quais sempre estão curtindo os finais de semana, optamos por fazer um churrasco (carne bovina) ou peixes diversos, devidamente acompanhados com aquela cerveja estupidamente gelada e a criançada com seu refrigerantes, tudo isso em nossa CASA, pois saí mais em conta, mais barato financeiramente, do que irmos para as barracas de praia. É incrível, conforme já comentado os preços cobrados pela comida, pelos tira-gostos, além de beber uma cerveja, muitas vezes quente. É lamentável e triste, não termos um atendimento digno por parte dos barraqueiros, garçons, etc; que nos atendem; o turismo na região não pode prosperar com essas “facadas” que recebemos. Com toda certeza fica mais barato, mais aconchegante, comermos e bebermos em nossas casas, e depois do almoço, irmos para praia, todos tomar um banho, e olhe lá um refrigerante de 2 litros ou umas 2 cervejas, e só. O pessoal das barracas têm que ser constantemente treinados e conscientizados, que o mais importante, são os clientes, os diversos usuários, turistas e todo o nosso povo da região, que pode com melhores preços e atendimento, engrandecê-los comercialmente; quando conseguirmos consciliar isso, com certeza voltaríamos com todo prazer a comer e beber nas barracas da praia e da vila. Temos que ter uma mobilização intensa envolvendo a sociedade como um todo, ou boicotando as barracas (continuando a comer e beber em casa; ou levando tira-gostos e bebidas de casa em isopor, como muitos fazem) ou simplesmente continuar tentando sensibilizar os comerciantes para que reduzam seus preços, ofereçam um melhor atendimento; treinem sua mão-de-obra; participem mais junto à Secretaria de Turismo de Santarém, obtendo apoio e por fim, entendendo que, o que importa e é essencial são os CLIENTES, TURISTAS, que abrilhantam essa beleza natural que é álter do Chão.

  7. denis diz:

    Esse povo de Alter do Chão e muito mal acostumado todo tempo e essa exploração, e o mesmo preço que as empresas de bebidas,frangos etc entregam em Santarem e entreguem em Alter do Chão,vamos trabalhar honestamente.

  8. Profº Almeida diz:

    Não nasci na pérola do Tapajós, mas cresci e me formei nela. Também gostaria de ser enterrado nela. Atualmente moro em Macapá e agora eu e minha família estamos em Monte Alegre, ainda este mês estaremos aí e certamente iremos ao alter-do-chão. Com essa notícia dos preços superfaturados já estou repensando se vamos para lá. No Estado do Amapá não há praias maravilhosas como as nossas, mas no momento que ressaltamaos que viemos de Santarém todos dizem que tem vontade de conhecer alter-do-chão. Será que agora precisarei dizer que os preços no balneário beiram o absurdo ou terão que se contentar com um simples mergulho nas águas do Tapajós. É importante que façamos valer nosso direito ao lazer e diversão.Portanto, é imprescindível dar ciência dessa situação aos orgãos de defesa do consumidor. Onde está o turismo receptivo. O turista dessa forma não retornará ao balneário e muito menos fará a divulgação das belezas mocorongas. Obrigado pelo espaço de discussão.

  9. Mocorongo diz:

    Concordo plenamente com a Roberta. O pior e que nos eventos festivos como o Saire, por exemplo, a coisa piora mais Ainda. Além de nos explorarem parece que os barraqueiros estão nos fazendo favor durante o atendimento. No carnaval tive um arranca-rabi com um deles. Alguém tem que ver isso e tomar providências para dar um basta na vergonha que passamos com os turistas que vem de fora e se vão levando uma péssima impressão do povo Santarenzinho .

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>