8 de setembro 2011 as 3:46 pm

Escândalo no INSS: Fraude no benefício

Agência do INSS em Santarém pode se tornar alvo de investigação federal

Agência do INSS pode se tornar alvo de investigação federal

Um grande escândalo pode vir à tona a qualquer momento, envolvendo ao Agência do INSS em Santarém. Segundo denúncia feita à nossa reportagem, quem dá entrada no INSS para requerer algum beneficio, recebe ou não aprovação da equipe técnica. Caso o benefício não seja aprovado, a alternativa é dar posse da carta de indeferimento a pessoa interessada, via justiça.

Como somente agora que está se ouvindo mais frequentemente a possibilidade das pessoas requerem este benefício via judicial, alguns têm a carta de indeferimento datada até de cinco anos atrás. Quando a Justiça Federal determina que o INSS dê o beneficio àquela pessoa, manda pagar também os atrasados, ou seja, desde o tempo que a pessoa recebeu a tal carta de indeferimento.

A denúncia é que vários profissionais estão ficando com esse dinheiro, inclusive tem gente do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Santarém envolvido no caso.

Segundo a denúncia, simplesmente os profissionais informam a seus clientes, que geralmente são do interior e não têm muita informação – que tem o referido direito, mas não informam que eles têm direito a receber o atrasado e quando esses profissionais recebem o montante, dizem que é do escritório. A Justiça determina o beneficio e o valor a ser pago a partir da carta de indeferimento

Segundo uma fonte, o INSS fabrica indeferimentos e alguém da carteira responsável direciona para certos profissionais, bem como existe a conivência de uma pessoa do STTR.

Muitas pessoas que são beneficiadas têm medo de denunciar, porque os tais profissionais ainda chantageiam de que eles vão perder o beneficio.

Fatos – A “mutreta” funciona mais ou menos assim: uma pessoa que esteja com o processo indeferido pelo INSS, seja para qualquer beneficio, como aposentadoria, salário maternidade, pensão por morte, auxilio doença, etc…, de posse da carta de indeferimento essa pessoa pode entrar na Justiça para reaver  o direito. Então, ela vai a determinados escritórios da cidade e dá entrada no processo via judicial. Só que determinados escritórios não avisam que a pessoa tem direito ao acumulado, ou seja, quando a Justiça Federal determina ao INSS, que pague àquela pessoa o determinado beneficio, manda também pagar, desde a data que a pessoa recebeu a carta de indeferimento, que pode ter até cinco anos…. e os desavisados, pobres coitados do interior, não são avisados disso. Certos profissionais considerados “gente graúda”, proprietários de escritórios afamados na região, infelizmente estão ficando com o dinheiro dos carentes. Um caso que deve ser investigado pela Polícia Civil e Polícia Federal, que deve colocar os culpados na cadeia. Segundo foi apurado, muita gente grande deve cair nas malhas finas da Lei.

Providências - A equipe do jornal O impacto esteve na Procuradoria do INSS de Santarém, onde a Dra. Marcela informou que existe uma norma da AGU – Advocacia Geral da União que proíbe que membros da Procuradoria concedam entrevistas. “Não podemos dar nenhuma informação sobre os processos”, afirmou.

Também nossa equipe esteve no Ministério Público Federal para que recebêssemos um posicionamento sobre a denúncia. Na ocasião, tivemos que protocolar um Requerimento, datado do dia 06/09/2011 e recebido pelo servidor Elton Pires, quando informou que em breve o Ministério Público Federal irá se posicionar sobre os fatos, bem como a Polícia Federal deverá entrar em ação para investigar as denúncias.

Fatos dessa natureza, que repercutem de maneira negativa, estão fazendo com que determinados profissionais sujos aqui de Santarém maculem a imagem de todos aqueles profissionais que estão querendo trabalhar direito… e pelo Direito!!! Sabemos até que uma pessoa de dentro do STTR (Sindicatos dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Santarém) está no meio, encobrindo e recebendo o seu. Assim, como o INSS parece que está fabricando indeferimentos a fole, e direcionando os clientes para determinados escritórios, ou seja, aos “profissionais”.

Cuidado, tem muita gente com telhado de vidro que pode se machucar, caso seja provado que está envolvido na falcatrua.

Por: Carlos Cruz

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

4 Comentários para Escândalo no INSS: Fraude no benefício

  1. josé jorge de jesus diz:

    Pois é,essa prática é um absurdo! Morro em um município de 13. 000, habitantes, chamado Uibaí-Bahia. Aqui não existe lei, os pilantras aproveitam das pessoas que perderam os seus entes queridos; e pedem o cartão do benefício do INSS – para sacar mensalmente, fazer empréstimo até o prazo de recadastramento. Existe um veterano no ramo que é funcionário público ligado à prefeitura; embora emprestado ao forúm para desenvolver algumas atividades na entidade, por falta de gente qualificada.O nome do estelonatário é: Luiz Cardoso Machado; conhecido como Luiz do Forúm. São vários os atos criminosos praticados por este cidadão. O fato é quando os atos vem à torna; ele juntamente com a família principal ajeita aqui e aculá e o indivíduo paga os tempos, calculados pelo funcionário de um posto do INSS, local e tudo tranquiliza. A indignação é que alguém ou entidade do INSS ou Ministério Público Federal; pudesse averiguar este fato e punir quem for do direito. O pior que cada tempo, as pessoas recebem uma carta de convocação para se justificar. e o cidadão bem tranquilo, tomando cachaça…; o que fazer para que a denuncia seja feita? Gostaria de ter a minha entidade eletrônica no mais absoluto sigilo.

  2. Pablo diz:

    O ministerio publico federal deve apurar para acabar com complor

  3. defensor dos fracos e oprimidos diz:

    e quem paga por isso, os pobres coitados dos velhinhos e outras pessoas desenformadas,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>